Revista Philomatica

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Por que Revista Philomatica?


Certo, não sou dos últimos a explorar o domínio dos blogs. No entanto, pelo que ouvi ainda ontem, blog já é algo démodé. A onda agora é o Twitter. Quem era blogueiro, agora é twiteiro. Puro neologismo! Como acabo de chegar, surpreendi-me com a dificuldade em criar nomes. Há nome para tudo! Para blogs então, nem se fala! Pensei no Voltaire, meu objeto de pesquisa. Lá estava ele, há muito um habitué das páginas da web. Pensei em Machado de Assis. Este então, nem se fala! Vai ver sou muito previsível. Depois pensei na Revista da Sociedade PhilomaticaExclui a tal da sociedade, afinal, hoje, elas são algo um problemático. É só mirar o Senado e vem à cabeça as associações, sociedades, quadrilhas, seja lá o que for e, arrepios!!!. Bem, fiquei só com a Revista Philomatica.
E aqui vale algumas informações: a Revista da Sociedade Philomatica é ainda hoje uma das mais citadas em nossa historiografia literária. Foi fundada por professores e alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco na São Paulo de 1833. O periódico, editado pelos acadêmicos, circulou de junho a dezembro de 1833 e não rendeu mais que seis exemplares. Se a quantidade foi comedida, as idéias e a qualidade do que ali foi colocado é de um valor histórico monumental. Tanto é que mereceu até uma edição fac-simíle em 1977. 

Sugestão de leitura: PASSOS, Gilberto Pinheiro. A miragem gálica – Presença da França na Revista da Sociedade Filomática. São Paulo: Instituto de Cooperação Interinstitucional – Inter/Coordenação de Aperfeiçoamento de pessoal de Nível Superior – CAPES, 1991.


É isso aí. Aqui há de se falar muito de literatura. Para aqueles que gostam... até a próxima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário